Tratamentos

Fisioterapia

Terapia Manual

Programa de tratamento individualizado, relacionado diretamente com os achados de uma avaliação minuciosa. Consiste na utilização de inúmeras técnicas e procedimentos como massagem de tecidos moles, pompagens, facilitação neuromuscular proprioceptiva, análise ergonômica, exercícios para melhora da força, coordenação, endurance, flexibilidade, estabilização segmentar, mobilização articular e mobilização neural.

Fisioterapia na ATM

Disfunção da articulação temporomandibular (ATM) pode provocar dor e/ou inflamação na região. Sintomas como ruídos (estalos), dor, desvios, dificuldade para abrir a boca, alteração postural e de esquema corporal e cefaléias são comuns. Várias são as causas dessa desordem: fatores neuromusculares, de oclusão, sobrecarga articular (bruxismo) e psicológicas (estresse).

A avaliação é de extrema importância para saber a verdadeira fonte dos sintomas. As disfunções na ATM freqüentemente acompanham sinais e sintomas relacionados às desordens da coluna cervical. A ATM faz parte do sistema postural e relaciona-se com problemas posturais de cabeça, pescoço e ombros.

Além das técnicas comumente utilizadas (crioterapia, TENS e ultra-som), possui extrema importância a cinesioterapia específica para alongar, fortalecer, promover propriocepção e coordenação por meio de pompagens, massoterapia local, exercícios miorrelaxantes, reeducação postural (exercícios ativos excêntricos), mobilização articular, exercícios de contração isométrica e liberação miofascial.

Fisioterapia Pós-mastectomia

A fisioterapia reeduca funcionalmente o membro superior, prevenindo a limitação funcional, o linfedema e a aderência cicatricial, recuperando a amplitude de movimento e melhorando a estética e o psicológico da paciente. Os recursos terapêuticos utilizados são drenagem linfática manual, alongamentos, correções posturais, etc.

Temos também a pressoterapia – Ver em Fisioterapia Vascular.

Fisioterapia em Gestantes

Trata distúrbios no sistema musculoesquelético observados na mulher durante a gravidez, no parto e no puerpério, ajudando-a a ajustar-se às suas mudanças físicas (aumento das curvaturas da coluna, alterações posturais em ombros e joelhos, alargamento da pelve, entre outras).

As técnicas fisioterapêuticas envolvem exercícios respiratórios que auxiliarão o parto, orientações posturais, alongamentos específicos na bola suíça, exercícios para o assoalho pélvico, drenagem linfática para ativar a circulação, etc.

Fisioterapia Vascular

ANGIOTRON 2S-600x600-500x500

Em patologias como linfedemas, insuficiência venosa, varizes, edemas crônicos, entre outras, a fisioterapia vascular visa melhorar a resistência física do paciente, as alterações sensitivas, o fluxo linfático e o retorno venoso, prevenir complicações como fibroses, limitação articular, hipotrofia muscular e incapacidade funcional, tratar a dor e processos inflamatórios e evitar ou postergar tratamentos cirúrgicos. No tratamento utilizam-se recursos eletro-termoterapêuticos, exercícios de panturrilha e planta do pé, exercícios respiratórios, bicicleta, terapia manual, alongamentos, correção da marcha, propriocepção, drenagem linfática manual, entre outros.

Angiotron – Pressoterapia
O Angiotron 2S é um moderno equipamento que se destina ao tratamento clinico de edema dos membros, incluindo linfedema, edema de origem venosa e secundária aos traumas.
O efeito terapêutico proporcionado por este aparelho se deve à massagem executada sobre o membro, que promove a drenagem do líquido acumulado no espaço extra-vascular para o interior dos vasos, e leva a uma efetiva redução do volume do membro tratado.

 

INDICAÇÕES:
Drenagem Linfática
Drenagem Venosa
Medicina Desportiva, Ortopedia e Fisioterapia
Oncologia
Medicina Estética

Fisioterapia Ortopédica

Trata das patologias como lesões ligamentares, bursites, tendinites, cervicalgias, lombalgias, esporões de calcâneo, fraturas, entorses, luxações, lesões musculares e outros. Os recursos terapêuticos compreendem aparelhos para tratar a dor (TENS, infravermelho, ultra-som), crioterapia, cinesioterapia, alongamentos, reabilitação postural, terapia manual, pompagens, entre outros.

Fisioterapia Uroginecológica e Coloproctológica

Assoalho Pélvico

A Fisioterapia Uroginecológica e Coloproctológica, também chamada de Fisioterapia nas Disfunções do Assoalho Pélvico, é uma especialidade que atua no tratamento das disfunções urogenitais, anorretais e nas distopias genitais, como os prolapsos.

O objetivo principal do tratamento é readquirir o controle sobre a musculatura do assoalho pélvico. Dessa forma, é apontada como procedimento de primeira escolha no tratamento destas disfunções, visto que vários estudos têm mostrado sua eficácia, podendo contribuir para postergar e até mesmo evitar a necessidade de intervenção cirúrgica.

O assoalho pélvico consiste de um conjunto de músculos localizados na parte inferior da pelve, os quais estão relacionados com o posicionamento adequado dos órgãos pélvicos, com a função sexual e com as continências urinária e fecal.

A fraqueza muscular decorrente da não contração desse grupo muscular ou qualquer outra alteração pode levar a diversas patologias, podendo gerar vários transtornos na vida social e sexual.

Indicações da Fisioterapia Uroginecológica e Coloproctológica:

  • Tratamento e prevenção da incontinência urinária (perda involuntária de urina aos esforços e/ou por urgência) no sexo feminino:

É um erro pensar que estas patologias se restringem à população idosa. As atletas de esportes de alto impacto, assim como mulheres jovens que frequentam academias, podem apresentar alterações no assoalho pélvico e evoluir com perda urinária;

  • Tratamento e prevenção da incontinência fecal (perda de gazes, fezes líquidas ou sólidas pelo ânus, que pode ser em grandes ou pequenas quantidades, podendo ser até mesmo um borramento na calcinha ou na cueca) nos sexos feminino e masculino;

  • Tratamento da incontinência urinária masculina:

Apesar de incomum, pode ocorrer após cirurgias de próstata. Nestes casos, a depender da lesão, muitos homens podem voltar a ficar continentes sem necessidade de novas cirurgias;

  • Acompanhamento das gestantes:

A gestação aumenta muito o peso sobre a musculatura pélvica. Além disso, a gestante altera todo o seu sistema osteomuscular para se adaptar ao novo corpo, levando muitas vezes a dor. O fisioterapeuta prepara a mulher para as alterações decorrentes da gestação e parto, além de desenvolver um plano terapêutico que favorece a rápida recuperação da musculatura perineal no puerpério imediato e tardio;

  • Tratamento da disfunção sexual feminina:

Este é um assunto pouco falado, porém bastante frequente. Envolve a dor durante o ato sexual, além de sintomas relacionados à fraqueza muscular, tais como: diminuição do desejo sexual, ausência de orgasmo, sensação de folga vaginal. A fisioterapia através de seus exercícios melhora o tônus da musculatura pélvica, aumentando a satisfação sexual;

  • Tratamento das constipações intestinais (“prisão de ventre”):

As técnicas empregadas pelos fisioterapeutas ajudam a melhorar o hábito intestinal, prevenindo uma série de enfermidades, tais como: incontinência fecal, excesso de gases e hemorróidas;

  • Tratamento da bexiga neurogênica em pacientes com lesão medular:

Uso de cateterismo intermitente;

  • Tratamento e prevenção de Prolapsos Genitais (descida dos órgãos pélvicos – útero, bexiga, reto, intestino. “Sensação de peso vaginal”, “bola na vagina”);

  • Acompanhamento pós cirúrgico de perineoplastia e levantamento de bexiga:

Muitas mulheres evoluem com dor após um procedimento cirúrgico pélvico, podendo a fisioterapia uroginecológica, através de massagem e analgesia, facilitar a cicatrização.

O tratamento fisioterapêutico visa o controle muscular e normalização fisiológica, englobando diversos recursos, tais como exercícios proprioceptivos, terapia manual, cones vaginais, modernos aparelhos de eletroestimulação,biofeedback, além da terapia comportamental, com exercícios e orientações domiciliares, como o diário miccional.

ATENÇÃO:

- Se você fica molhado (a);

- Há aumento das idas ao banheiro;

- Se você perde urina ao sorrir, pular, tossir, espirrar, andar, carregar peso;

- Se você perde urina, gazes ou fezes durante o dia ou a noite (dormindo) sem perceber;

- Suas peças íntimas ficam sujas de fezes;

- Há diminuição do interesse sexual,

- Se você tem a sensação de folga vaginal.

Procure seu médico urologista / ginecologista / fisioterapeuta e converse sobre o melhor tratamento para o seu caso, pois VOCÊ PODE PRECISAR DE REABILITAÇÃO DO ASSOALHO PÉLVICO!

Biofeedback com EMG

“Técnica que utiliza equipamentos eletrônicos para revelar ao usuário os eventos fisiológicos normais ou anormais, na forma de sinais visuais e/ou auditivos, com o objetivo de ensiná-lo a manipular estes eventos involuntários ou imperceptíveis através da manipulação dos dados mostrados na tela.

miotec1miotec2